Grito ancestral no Tapajós, Cantos que acalentam Encantados, Cuara çu e Tetchi’arü’ngu

Indígenas.BR- Grito ancestral no Tapajós, Cantos que acalentam Encantados, Cuara çu e Tetchi’arü’ngu. Centro Cultural Vale Maranhão

O segundo dia de Indígenas.BR – Festival de Músicas Indígenas teve videoclipes, show, documentário e bate-papo.

Videoclipes: – Cuara çu – Marcia Kambeba

A música fala da importância de se voltar à aldeia, fazendo o GRANDE CAMINHO e de abraçar e cantar a cultura da luta de todos os povos, para manter viva a chama ancestral.

Letra: Márcia Wayna Kambeba; Música: Márcia Wayna Kambeba; Percussão: Rafael Barros

– Tetchi’arü’ngu – Djuena Tikuna e DJ Eric Marky

Ao som ancestral do canto de Djuena Tikuna, Tetchi’arü’ngu ganha uma nova versão nas mãos do instrumentista e DJ Eric Marky Terena.

Direção: Priscila Tapajowara; Produção: Gasparini Kaingang; Roteiro: Erisvan Guajajara; Produção local: Dany Guajajara; Camera: Honny Nickson – Mídia Índia

Documentário – O grito ancestral no Tapajós

Vídeo com o grupo Tupinambá do Tapajós no Pará, que resistem e protegem o patrimônio ambiental, territorial e cultura com outros diferentes povos na região, tendo como principal bandeira de luta a demarcação dos territórios, (hoje) situado na Reserva Extrativista Tapajós Arapiuns, município de Santarém, oeste do Pará.

Produção audiovisual de Eli Tupinambá, Elangela Tupinambá, Francicleide Tupinambá, Milena Raquel Tupinambá, Vitoria Tupinambá e Priscila Tupinambá.

Show – Os Cantos que acalentam os Encantados* – Djuena Tikuna

“Uma louvação aos imortais, aos Uüne, aos Mayra, aos encantados”. Assim, Djuena Tikuna define sua intimista apresentação musical, à capella, durante sua visita à terra indígena Araribóia, na Amazônia maranhense.

Ficha Técnica: Os Cantos que acalentam os Encantados – DJUENA TIKUNA 20 minutos / Cor Ano de Produção: 2021; Direção e Imagens: Fitazuh Produções; Áudio: Basarone Produções

A edição 2021 do Indígenas.BR levou a diversidade de músicas indígenas para o CCVM. Mostra de videoclipes, mostra de documentários, shows, bate-papos e conteúdos inéditos de dois povos do Maranhão – os Kanela Ramkokamekrá e os Guajajara Tentehar – foram exibidos em 9 dias com uma programação pensada para difundir a pluralidade das produções musicais realizadas por artistas indígenas de diferentes partes do país.

A curadoria foi da pesquisadora e musicista Magda Pucci e da jornalista e poeta Renata Tupinambá.

Ha’evete: AGUYJEVETE, Guarani Kaiowa, Brô Mc´s, 1° Festival Indígena União dos Povos Festival União dos Povos Indígenas, Acampamento & Festival “O Jaraguá é Guarani”, A primeira palavra

Conheça nossa MBAE´MO PARA e aproveite para contribuir, assim como fortalecer a arte e a cultura Guarani.

8 comentários

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s